Batistas debatem sobre unidade racial nos Estados Unidos

0

A expectativa do debate é gerar um renascimento na Igreja Batista do Sul

Batistas debatem sobre unidade racial nos Estados Unidos
Southern Baptist Convention (SBC)

 

Por Paulo Pontes

Os líderes da Southern Baptist Convention (SBC) – Convenção Batista do Sul – estarão reunidos na próxima terça-feira; e, segundo o presidente da SBC Ronnie Floyd o principal assunto da pauta é abordar o problema do racismo na nação norte americana.

Em 9 de agosto de 2014 na cidade de Ferguson, na periferia de St. Louis, Missouri, Estados Unidos. Brown, um jovem negro de dezoito anos de idade – Michael Brown, morreu após ser alvejado pelo oficial da polícia municipal Darren Wilson. O rapaz não portava armas e não possuía nenhum antecedente criminal. Desde a morte do jovem afro-americano baleado por um policial branco, e a absolvição do oficial, foi desencadeada uma série de reações na cidade de Ferguson, em St. Louis alcançando nível nacional, inclusive com manifestações pacificas, protestos, além de reações violentas por parte da população, e outras formas de demonstrações sociais. O estado do Missouri entrou em erupção com motins e tumultos, e o nome Ferguson tornou-se um símbolo da injustiça racial que ainda existe em os EUA.

Agora, quase dois anos depois do incidente, os líderes da Southern Baptist Convention vão reunir-se com Jerry Young, presidente da maior denominação historicamente negra do país, a National Baptist Convention, EUA, em St. Louis, cerca de 20 minutos de Ferguson.

O presidente da SBC Ronnie Floyd comentou sobre a natureza providencial da localização da reunião: “É providencial e incrível”, exclamou ele, acrescentando que o local da reunião foi estabelecido antes da agitação ocorrida em Ferguson.

Floyd já havia escrito uma carta, juntamente com um grupo inter-racial dos colegas ministros, na qual pediu aos líderes da SBC, pastores de todas as denominações, e todos os cristãos para abordar a questão do racismo. E esse será o foco da reunião em St. Louis. “A igreja não pode chamar a América a se arrepender de nada até que a igreja se arrependa, e os Batistas do Sul não podem chamar o país para se arrepender até que os Batistas do Sul se arrependam”, declarou Floyd.

A expectativa é que a abordagem da questão do racismo, pelos líderes da SBC, desencadeie um renascimento na Igreja Batista do Sul.

Com informações de Christian HeadLines

DEIXE UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome