Assembleia de Deus no Brasil: A necessidade continua!

2
75

A necessidade de se voltar aos princípios que nortearam a implantação do pentecostalismo em nossa pátria e que fizeram da Assembléia de Deus a maior denominação evangélica, verdadeira e puramente pentecostal da América Latina.

Carlos Levy Mendes Conde

Assembleia de DeusEm 1986, na revista A SEARA de número 263, na sessão OPINIÃO, publicou-se um artigo que dizia: “que a Assembléia de Deus com 10 milhões de membros, constituía-se na maior denominação da América Latina e que seu pujante crescimento era considerado um dos maiores fenômenos sociológicos de nossa época”. Passados vinte e cinco anos, já não somos mais 10 milhões de membros. Àquela época, estava a Assembléia de Deus, completando 75 anos de existência. Hoje estamos com mais de 100 anos, e sem dúvida alguma, passados esses anos, o número de membros da Assembléia de Deus também aumentou consideravelmente.

Analisando todos esses fatos, posso, respaldado em muitas experiências dizer que existe uma grande necessidade em meio a nossa querida e abençoada Igreja.

Qual será a necessidade de uma denominação evangélica com noventa anos de fundada e com certeza, com mais de 22 milhões de membros, pois acreditamos já havermos ultrapassado esse número.

Qual será a necessidade daquela que é a maior igreja evangélica da América Latina? A nossa maior necessidade é deixar que o Espírito Santo possa agir livremente em nosso meio, como sempre agiu desde os tempos da Igreja primitiva. Parece haver sido ontem que reuníamo-nos em Belém do Pará para as comemorações do Jubileu de Diamantes das Assembléias de Deus no Brasil. Foram momentos de grande júbilo. Em 1986 as igrejas no Brasil inteiro, nas grandes cidades e bem assim nas plagas bem distantes dos interiores brasileiros, comemoravam os 75 anos de crescimento espiritual, de operações de maravilhas, de plenitude do Espírito Santo. (O que dizer das comemorações do Centenário em 2011? Emoção, alegria e entusiasmo tomou conta dos membros e congregados da denominação em todo país.)

A Igreja do Senhor continua com sua grande e maravilhosa missão de anunciar o Evangelho transformador de Jesus Cristo, pois para isso está na terra. Devemos entender, porém, que a obra de Deus só poderá ser feita com seriedade e com sucesso, se continuarmos a dar lugar à operação do Espírito Santo em nosso meio.

Infelizmente, as operações de maravilhas, manifestações dos dons espirituais e outros sinais que tem caracterizado o movimento pentecostal, já não estão sendo levados muito a sério por alguns. Em conseqüência disso, já vislumbramos evidentes sinais de fracasso, que se traduzem na ausência de decisões nos cultos, frieza nas reuniões, falta de batismo com o Espírito Santo, mundanismo, bancos vazios, mensagens fracas, queda espiritual, igrejas onde até já se proíbe falar em línguas estranhas, para segundo dizem alguns “modernos” não escandalizar os amigos visitantes. Tudo isso e muitas outras coisas são incontestáveis moléstias espirituais, causadas por não se dar lugar àquele que veio para estar sempre conosco – o Consolador.

A escassez e até ausência total em alguns lugares da operação do Espírito Santo na vida de muitos que costumam se rotular de pentecostais tem impedido que estes tenham uma vida mais digna. Os tais deixam de tratar as coisas como elas realmente são. Por que?

Para não magoar esta ou aquela pessoa. Eles se esquecem, no entanto, de que a Igreja tem de ser dirigida segundo a orientação do Espírito Santo.

Vejo-me obrigado em insistir, repetindo: "A NECESSIDADE CONTINUA".

Mas, que necessidade é essa?

A necessidade de se voltar aos princípios que nortearam a implantação do pentecostalismo em nossa pátria e que fizeram da Assembléia de Deus a maior denominação evangélica, verdadeira e puramente pentecostal da América Latina.

Não podemos nos esquecer que as Assembléias de Deus conseguiram o seu crescimento graças à ação impulsora do Espírito Santo, que fez, primeiramente uma obra nos corações de Berg e Vingren, trazendo-os ao Brasil. Depois continuou essa mesma obra, salvando, batizando com fogo e multiplicando o número dos que hão de herdar a vida eterna.

Não podemos, de forma alguma, impedir que o poderoso Espírito de Deus tenha sua ação obstada pelo orgulho denominacional de alguns líderes que, muitas vezes, relegam-no a um plano secundário.

Devemos, por conseguinte, deixar que a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade opere livremente em nós e em “nossas” Igrejas, impulsionando a todos à obra da evangelização como o fez no início deste século que chega ao seu final. Na realidade somos mais de 22 milhões de membros, no entanto há, ainda, muitos milhões de pessoas que precisam conhecer a Jesus Cristo. Assim sendo, jamais devemos nos acomodar, porque temos crescido bastante.

Se, crescemos, entendo que somos adultos suficiente para reconhecermos que A NECESSIDADE CONTINUA. Sim a grande e urgente necessidade de dar-se lugar a força maravilhosa do Espírito Santo de Deus. Afinal de contas, somos PENTECOSTAIS DE VERDADE, DE FATO E DE DIREITO. Que o Senhor Jesus possa suprir essa urgente necessidade.

 

Pr. Levy CondeCarlos Levy Mendes Conde
Pastor, líder da Assembleia de Deus Vida Plena em Rio Branco, Acre. Presidente de honra da Convenção de Obreiros no estado do Acre. Casado com a pastora Milca Muniz Conde, desde 01/03/1969.

2 COMENTÁRIOS

  1. Assembleia de Deus com 22 milhões ou mais de membros hoje??? Existe um grande equívoco nessa estatística. Se bem que em termos estatísticos os números da denominação são bem diferentes dos números oficiais. Exemplo disso ver-se em autores ou obras da própria CPAD. Ezequias Soares no livro Como Responder às Testemunhas de Jeová, 1ª edição de 1991, informa na p.55 que a Assembléia de Deus tinha 13 milhões de membros. E recentemente na biografia de José Wellington, escrita por Isael de Araújo, temos os dados do IBGE dos últimos censos com 8,4 milhões de assembleianos em 2000; e no censo de 2010 com 12 milhões de fiéis. Destes a estimativa é que 9,5 milhões sejam filiados a CGADB – Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil já que temos ainda a Conamad – Convenção Nacional das Assembleias de Deus do Ministério Madureira. E dessa forma então até os dados de 10 milhões de membros da revista seara de 1986, citados no artigo são muito improváveis. Apenas enaltecer e reconhecer a necessidade de crescimento quantitativo assembleiano com base em números elásticos levá-nos a um discurso ufanístico sem reconhecer a grande e maior necessidade assembleiana atual – reforma doutrinária já.

    • Gildo Gomes, concordo com sua palavras. Também observei os números, mas verifiquei em http://pt.wikipedia.org/wiki/Assembleia_de_Deus_(Brasil) onde realmente menciona mais de 22 milhões. Os números podem até serem improváveis, mas “a grande e urgente necessidade de dar-se lugar a força maravilhosa do Espírito Santo de Deus”, é real. Parabéns ao Pr. Levy Conde pelo artigo, cujo enfoque é pela ação dos direitos do Espírito Santo na igreja (denominação) Assembleia de Deus. Abraços.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome