Asia Bibi, cristã condenada à morte é absolvida no Paquistão

0
135
Asia Bibi, cristã condenada à morte é absolvida no Paquistão
Aasiya Noreen, comumente conhecida como Asia Bibi, está na prisão desde 2009 (Foto: Reprodução)

Suprema Corte decide pela libertação da cristã perseguida Asia Bibi que estava há oito anos no corredor da morte

A Suprema Corte do Paquistão ordenou a imediata soltura de Asia Bibi, a mulher cristã que ficou oito anos no corredor da morte. De acordo com a decisão oficial, a acusação falhou em apresentar provas acima de qualquer dúvida. Os juízes citaram o alcorão (livro sagrado do islamismo) extensivamente e outras escrituras islâmicas, dizendo entre outras coisas que os não-muçulmanos devem ser tratados com gentileza.

“Ficamos aliviados ao saber que a Suprema Corte Paquistanesa retirou as acusações contra Asia Bibi – acusações que eram baseadas simplesmente em sua identidade cristã e falsas acusações contra ela. Essa decisão nos dá esperança de que o Paquistão irá dar outros passos em direção à liberdade de religião e direitos humanos no país”, declarou um porta-voz da Portas Abertas Internacional.

Neste meio tempo, os cristãos paquistaneses pediram à Portas Abertas que convocasse a comunidade cristã internacional à oração. Alguns dias atrás, Khadim Hussain Rizvi, líder do grupo extremista Tehreeq Labek Pakistan, convocou em um vídeo todos seus seguidores para sair às ruas e estar prontos para morrer caso o veredito fosse favorável a Asia Bibi.

Cristãos se preocupam com possíveis retaliações

Parceiros da Portas Abertas na região afirmam que “esta é uma situação de alta tensão e ameaça para as minorias religiosas, especialmente para os cristãos, e há medo de perseguição e ataques às suas igrejas e propriedades. Portanto, apelamos ao governo do Paquistão e à Suprema Corte que considerem a ameaça feita por Khadim Rizvi. Também apelamos ao governo e às agências protetoras da lei que aumentem a segurança e assegurem que tropas militares estejam em posição para proteger a vida e as propriedades das minorias religiosas, principalmente dos cristãos e igrejas”.

Ao mesmo tempo, líderes cristãos aconselham os fiéis a se comportarem de maneira digna de Cristo. “Convocamos os cristãos em todo o país e no mundo a orar e proclamar nosso direito à justiça, mas para fazê-lo como imitadores de Cristo. Em resposta ao veredito, se abstenham de fazer qualquer comentário que possa ser usado contra vocês”, declaram.

Alguns escritórios e escolas foram fechados. Nossos parceiros que têm filhos em escolas de maioria muçulmana estavam preocupados e pedem oração para que não sejam reconhecidos como cristãos, que não chamem a atenção e voltem em segurança para casa.

Entenda o caso:

Aasiya Noreen, comumente conhecida como Asia Bibi, está na prisão desde 2009 e recebeu pena de morte em 2010 por blasfêmia, após supostamente fazer comentários ofensivos sobre o profeta Maomé durante uma discussão com uma mulher muçulmana. O advogado dela, Saif-ul-Malook, disse ao portal de notícias Deutsche Welle (DW) que a crsitã permanece com uma boa chance de ser libertada. De acordo com ele, esse é legalmente um caso fraco.

Também houve contradições nos depoimentos das testemunhas, de acordo com o site de notícias paquistanês The News International. Apenas a Suprema Corte do Paquistão pode mudar a sentença de morte de Asia Bibi ou ela terá que apelar ao presidente por misericórdia.

Durante a visita do enviado especial para Liberdade de Religião e Crença norte-americano, Jan Figel, ao Paquistão, em dezembro de 2017, ele disse a oficiais que a renovação do direito de exportação para a Europa do país dependeria da soltura da paquistanesa. Os cristãos paquistaneses temem que, mesmo se ela ganhar o recurso e sua condenação por blasfêmia for anulada, Asia Bibi será vítima de grupos violentos, já que muitos paquistaneses estão convencidos de que ela merece morrer.

Durante a sua audiência de recurso, o marido e filha de Asia Bibi estavam no Reino Unido. Eles falaram em um evento realizado por uma organização cristã na Universidade de Lancaster, no último final de semana. Ashiq Masih disse que sua esposa “nunca se converteria ao islamismo”. Ele disse também que ela está psicológica, física e espiritualmente bem. “Tendo uma fé forte, ela está pronta e disposta a morrer por Cristo”, afirmou.

Informações: Assessoria de Imprensa Portas Abertas

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome