As restrições à liberdade religiosa em Cuba

1
128

ANAJURE divulga relatório sobre restrições à liberdade religiosa em Cuba. Entidade leva o assunto à discussão na Câmara dos Deputados no âmbito da Comissão de Relações Exteriores

As restrições à liberdade religiosa em Cuba
Os irmãos Castro

CSW descreve como é a ação repressora do governo cubano no país comandado pelos irmãos Castro

A Associação Nacional de Juristas Evangélicos – ANAJURE recebeu um relatório elaborado pela Christian Solidarity Worldwide (CSW) com apoio da Stefanus Alliance International que descreve com detalhes a restrição governamental à liberdade religiosa em Cuba.Estas entidades pediram à ANAJURE que denunciassem no Brasil as graves violações à liberdade religiosa e de expressão cometidas naquele país. O relatório está disponível em “ANAJURE Report Cuba”.

Mesmo após a transição no comando entre os irmãos Castro, não há indícios de que a repressão política à liberdade religiosa esteja diminuindo. Pelo contrário, o relatório registra ataques violentos e perseguição severa a pastores protestantes e líderes católicos em diferentes partes do país. Por isso mesmo e tendo em vista a gravidade dos fatos, por gestão da ANAJURE junto à Frente Parlamentar Evangélica, nos próximos dias, o assunto será debatido pela Comissão de Relações Exteriores na Câmara dos Deputados, em Brasília, a fim de se aprovar uma menção denunciativa dessas restrições às liberdades civis fundamentais cometidas em Cuba.

Um fato recorrente relatado pela CSW é que todas as semanas, homens, mulheres e até crianças são retirados forçadamente de cultos matinais de domingo por agentes de segurança do Estado. A ação é feita por meio do bloqueio nas próprias residências dos fiéis, ou mesmo com a detenção sem acusação formal, muitas vezes com o uso da violência. As vítimas contam que, além de serem impedidas de exercerem suas atividades religiosas no domingo, ainda são impedidas de frequentar até mesmo as reuniões de oração e estudos bíblicos que por vezes ocorrem nas residências dos fiéis.

Adicionalmente, uma Secretaria de Assuntos Religiosos foi criada com o objetivo de monitorar, entravar e até restringir as diversas atividades religiosas exercidas pela população em todas as regiões do país.

O Partido Comunista Cubano periodicamente procura os líderes religiosos para pedir apoio político às iniciativas do governo. Diante de alguma recusa, com base da prerrogativa de que a igreja não deve ser usada para fins políticos, passam na sequência a seremalvos de intensa perseguição.

A ação intrusiva do governo se faz presente por meio da presença ostensiva de agentes durante os próprios cultos. Além disso, há ampla e persistente utilização de informantes infiltrados em igrejas e seminários como forma de monitorar as atividades da igreja, incluindo o conteúdo das pregações, e até conversas e comentários interpessoais que sejam considerados “contra-revolucionários”.

Líderes das igrejas apontam que o governo tem consciência do papel que os grupos religiosos exercem na subversão dos regimes repressores e por isso tentam, de diversas maneiras, eliminar qualquer cenário que ofereça risco. A utilização aberta e clandestina de informantes resulta em um ambiente intimidatório que termina por restringir os cubanos de cultuarem livremente e sem medo de represálias por desagradar as autoridades governamentais.

Estamos vendo, em pleno século XXI, severa restrição ao livre exercício religioso na ilha de Cuba. E o problema não parece ter diminuído com a ascensão de Raúl Castro ao comando do Governo; pelo contrário, ele vem seguindo a mesma cartilha opressora de Fidel, que por tantos anos tem governado a ilha com mão de ferro, sem nenhum respeito às liberdades civis fundamentais”, diz Uziel Santana, presidente da ANAJURE. Ele explica que comumente regimes socialistas são associados à restrição da atividade religiosa, em especial ao cristianismo, porque “nossa religião não se coaduna com Estados de viés totalitário e ditatorial, exatamente porque a base do nosso sistema é o respeito às liberdades, ao Estado Democrático de Direito, com especial apreço ao princípio da dignidade da pessoa humana, independentemente de predileções pessoais ou políticas”, explica Santana.

Com informações da Assessora de Imprensa da Anajure

1 COMENTÁRIO

  1. Amei esta reportagem. Vou postar no meu blog, mas manterei todos os créditos devidos e o link deste site. Deus continue abençoando vocês. Vamos orar por Cuba, esta nação precisa de Deus!

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome