Acidente Vascular Cerebral – Sintomas, causas, tratamentos e riscos entre pacientes mais jovens

0
55
Acidente Vascular Cerebral - Sintomas, causas, tratamentos e riscos entre pacientes mais jovens
Foto: Reprodução Internet

O neurocirurgião do Hospital Albert Sabin, Dr. Felippe Saad, alerta e explica a causa de pessoas mais jovens, entre 35 e 40 anos, sofrerem um AVC.

O Acidente Vascular Cerebral (AVC), mais conhecida como derrame, é uma doença cerebral aguda causada, basicamente, pelo entupimento (isquêmico) ou extravasamento (hemorrágico) de uma ou mais artérias, impedindo que o sangue transporte oxigênio e nutrientes ao encéfalo.

“Os indivíduos que correm mais riscos são os hipertensos sem controle, os diabéticos sem tratamento, as pessoas com problemas de colesterol e gordura no sangue, os fumantes e os obesos. Importante salientar que, ultimamente, devido a hábitos como o alcoolismo e o uso de drogas ilícitas e de medicações que alteram a coagulação, como termogênicos e estimulantes, há uma incidência maior da doença em pessoas de 35 a 45 anos”, explica o Dr. Felippe Saad, coordenador da neurologia e neurocirurgia do Hospital Albert Sabin (HAS). “Pacientes com essas características, alteram a saúde dos vasos sanguíneos levando ao entupimento ou ruptura”, complementa.

Segundo o Ministério da Saúde, o AVC é uma das maiores causas de morte e incapacidade adquirida em todo o mundo. Estatísticas brasileiras indicam que é o motivo mais frequente de óbito na população adulta (10%) e consiste no diagnóstico de 10% das internações hospitalares. O Brasil apresenta a quarta taxa de mortalidade por AVC entre os países da América Latina e Caribe.

“As pessoas que correm mais riscos são os hipertensos sem controle, os diabéticos sem tratamento, as pessoas com problemas de colesterol e gordura no sangue, os fumantes e os obesos”, explica o Dr. Felippe Saad, coordenador da neurologia e neurocirurgia do Hospital Albert Sabin (HAS). “Pacientes com essas doenças, alteram a saúde dos vasos sanguíneos levando ao entupimento ou ruptura”, complementa.

Os principais sinais indicativos da ocorrência de um AVC são fortes dores de cabeça, paralisia dos braços ou das pernas, desvio da boca, Dificuldades de fala, sonolência excessiva, desorientação e falta de visão de um dos lados.

“Apresentando alguns desses sintomas em casa, trabalho ou qualquer outro lugar fora do hospital, deve-se acionar imediatamente o serviço de remoção com a finalidade de levar o paciente ao pronto atendimento o mais rápido possível. Nessas situações, cada minuto conta para o salvamento e posterior diminuição das sequelas”, adverte o Dr. Saad.

O tratamento varia com o tipo AVC sofrido. No isquêmico com suporte de cuidados intensivos e medicações para tentar desobstruir o vaso cerebral. Já o hemorrágico pode requerer cirurgia para drenagem do coágulo de dentro do cérebro.

“Cuidar da saúde controlando a pressão arterial, diabetes, peso, se exercitando e consultando frequentemente o seu médico são medidas que podem evitar o aparecimento dessa e de outras doenças”, finaliza o Dr. Felippe.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome