A Rússia registrou a primeira vacina contra o coronavírus
Rússia produz a primeira vacina no mundo para combater o Covid-19. | Foto: Reprodução

A Rússia anunciou nesta terça-feira dia 11/08, que o país registrou a primeira vacina do mundo contra o Coronavírus. A informação foi dada pelo ministro da Saúde, Mikhail Murashko. O ministro, disse que a vacina “provou ser altamente eficaz e segura“, saudando-a como um grande passo para a “vitória da humanidade” sobre a Covid-19.

Embora, a vacina russa não esteja na lista da OMS das seis vacinas, que alcançaram a fase três dos testes clínicos, e que envolvem testes mais amplos em humanos. Deve-se destacar o pioneirismo russo, em dar um passo a frente das outras pesquisas realizadas com o apoio da OMS.

O Ministério da Defesa, enfatizou que os resultados até agora mostram “de forma inequívoca” o desenvolvimento de “uma resposta imune em todos os voluntários, sem efeitos colaterais, complicações ou reações indesejadas“.

Em meados de junho, o Ministério da Defesa russo, já havia informado sobre a conclusão “bem-sucedida” de testes em voluntários no hospital militar Burdenko, mas não publicou nenhum tipo de evidência científica.

Mas, não informou quantas pessoas foram submetidas ao teste, nem detalhes sobre elas; ou informações sobre quanto tempo duraria a resposta sobre o tipo e grau de imunidade que a vacina pode oferecer.

No momento da alta, todos os voluntários sem exceção que receberam imunidade contra o coronavírus se sentiram bem. Portanto a primeira vacina doméstica contra a nova infecção por coronavírus está pronta“, disse o vice-ministro de Defesa, Ruslan Tsalikov.

Suspeitas e dúvidas

A primeira vacina do país contra o coronavírus foi desenvolvida por cientistas do Centro Nacional de Investigação de Epidemiologia e Microbiologia (Gamaleya) junto ao Ministério da Defesa.

Mas, existem temores de que a segurança e eficiência da vacina, possa ter sido comprometida. Na semana passada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) insistiu com a Rússia, para seguir as diretrizes internacionais para a produção de uma vacina contra a Covid-19.

Apesar do rápido progresso e apresentação de um medicamento contra a covid-19, a maioria dos especialistas acredita que uma vacina não estará amplamente disponível até meados de 2021. Um porta-voz da OMS reforçou os pedidos de cautela. “Às vezes, pesquisadores afirmam que encontraram algo. Isso é, obviamente, uma boa notícia“, disse Christian Lindmeier no dia 4 de agosto.

Em maio, a Associação de Organizadores de Pesquisas Clínicas criticou a Rússia logo que se descobriu que os cientistas do Instituto Gamaleya haviam se inoculado com algumas doses quando a vacina ainda estava em fase de testes em animais.

O serviço da BBC russa, afirma que tanto dentro como fora da Rússia vários especialistas têm expressado temores de que os ensaios clínicos teriam sido insuficientes, já que houve um grande esforço do Kremlin para ganhar a corrida mundial por uma vacina.

Vacinação em massa

O anúncio da campanha de vacinação em massa foi feito quando a vacina ainda se encontrava “na etapa fina da segunda fase“, segundo a agência estatal russa de notícias Itar-Tass.

O governo russo anunciou que estava se preparando para iniciar a vacinação em massa após testes bem-sucedidos da vacina. Mais de 100 vacinas em todo o mundo estão em desenvolvimento, algumas delas sendo testadas em pessoas em ensaios clínicos.

Inicialmente, de acordo com as autoridades sanitárias, serão vacinados grupos especiais da população: médicos, professores e aqueles que estão constantemente em contato com grandes grupos de pessoas.


DEIXE UM COMENTÁRIO 
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui