A Mordomia do Corpo
Homem orando no templo (Foto: Pixabay)

Subsidio da Lição 2: “O que precisamos saber sobre a Mordomia do Corpo”.

A presente lição é constituída por um tripé simplesmente empolgante referente à estrutura do corpo humano: “lado físico (matéria), lado espiritual (espírito e alma) e o lado cultual (o ato de unir as duas primeiras partes para se achegar em adoração ao criador”).

Definições gerais de corpo em português

  1. Substancia física de cada homem ou animal;
  2. Cadáver;
  3. A parte do organismo humano e animal formado pelo tórax e pelo abdome;
  4. A parte central ou principal de um veículo;
  5. Qualquer objeto material caracterizado por suas propriedades físicas;
  6. Grupos de pessoas consideradas como unidade ou como conjunto organizado;
  7. A parte principal de uma ideia, de uma doutrina ou de um texto.

Definições gerais de corpo em grego

As definições seguintes serão assim divididas: “3 substantivos, 2 adjetivos e um advérbio”.

Substantivos
  1. Soma – Aponta o corpo como um todo, o instrumento de vida, quer do homem vivo (Mt 6.22) ou morto (27.52); ou na ressurreição (1 Co 15.44); ou de animais (Hb 13.11); ou de grão (1 Co 15.37,38); ou dos exércitos celestes (1 Co 15.40). Às vezes este termo representa por sinédoque, homem completo (Mt 5.29; 6.23; Rm 12.1; Tg 3.6; Ap 18.13). A palavra também é usada para se referir a natureza física, em oposição a pneuma, ‘a natureza espiritual’ (1 Co 5.3).
  2. Chrõs – Significa o aspecto exterior de um corpo, especificamente do corpo humano.
  3. Ptõma – Denota, literalmente queda (cognato de pipto ‘cair’), por conseguinte aponto aquilo que é caído ou um cadáver (Mt 14.12; 24.28; Mc 6.29; 15.45); representa ainda um corpo morto, a saber uma carcaça (Ap 11.8,9).
Adjetivos
  1. Sussõmos – A ideia etimológica-exegetica repassada por este verbete indica o ato de unir no mesmo corpo significa (unir um corpo no outro) apontando exatamente para a igreja como um único corpo que tem como cabeça Cristo (Ef 3.6).
  2. Sõmatikos – Significa corpóreo e físico, é usado no Evangelho de Lucas acerca do Espírito Santo quando assumiu forma corpórea (Lc 3.22). Este termo também tem haver com exercício físico (1 Tm 4.8).
Advérbio
  1. Somatikos – A única diferença entre este termo para o segundo adjetivo acima é que sõmatikos no adjetivo é escrito com a letra “omicrom” que é uma vogal fechada. Já o “somatikos” do advérbio é escrito com a vogal “ômega” que é uma vogal aberta. Aqui o advérbio é entendido da seguinte forma: “fisicamente, corporalmente e em corpo”.

Deus fez o corpo humano para sua glória

O termo “corpo humano” indica uma feitura original de Deus. Ele o fez para o seu louvor e glória. Nenhum especialista no mundo teria capacidade de formular uma planta de carne ou mesmo esquelética como bem fez o nosso Criador.

Toda invenção humana já criada pelos humanos nem sequer consegue se aproximar da grandeza criativa antropológica de Deus. Os robôs que estão sendo desenvolvidos para facilitar os trabalhos e afazeres dos humanos não passam de uma minguada potencialidade mortal.

Nossos corpos são maquinas incríveis. O cérebro trabalha a uma velocidade muito maior que um carro de formula 1. O coração bate 100 mil vezes ao dia e a cabeça abriga mais de 120 mil fios de cabelos. Deus, sendo o criador deste corpo tão misterioso e completo, pode contar cada um deles sem precisar de calculadora.

Nota judaica sobre o corpo

Um relato do Talmude diz que um erudito do século I, por nome Hilel, encerrou uma aula e apressou-se para um compromisso. Seus discípulos lhe perguntaram para onde ele estava indo, e ele disse que estava indo cumprir uma obrigação religiosa.

Os discípulos insistiram em perguntar-lhe qual seria esta obrigação. Ele respondeu que estava indo à casa de banho, banhar-se.

Os alunos, então, perguntaram: “Isso é uma obrigação?”

Hilel respondeu: “Sim, se uma pessoa responsável por raspar e limpar as estatuas do rei que estão nos teatros e circos é paga por seu trabalho e associa-o até mesmo a nobreza, o que dizer de mim, que represento Deus nesta terra, que devo ter certeza de que meu corpo, criado por ele, está intacto e em condições puras?”

Com esta nota em mente concluímos que, como templo do Espírito Santo, nosso corpo deve ser cuidado e resguardado unicamente para o louvor a Deus. Pense, por exemplo, no salmo 103 que diz que tudo que há em nós deve bendizer ao criador. Neste caso, devemos:

  1. Evitar a prostituição;
  2. Dormir bem;
  3. Manter uma alimentação saudável;
  4. Nos banhar diariamente; e,
  5. Cuidar em todos os aspectos do que a Bíblia chama de templo do Espírito Santo.

A dimensão do corpo espiritual versus a mordomia do mesmo através do culto cristão

O fator mais importante no culto judaico era o ato de se apresentar em sentido completo diante do Altar, na Sinagoga, no Tabernáculo e no Templo ou ainda ao ar livre. Assim como os cordeiros que pelos sacerdotes eram levados aos altares não podiam ter defeitos, também os israelitas como ofertas vivas de Deus não podiam se achegar a ele com seus corpos manchados pelas chagas do pecado egocêntrico.

Nosso corpo espiritual deve atuar com plena atividade no que se refere a mordomia administrativa do culto ao eterno.

  1. A mordomia da parte da cabeça – pensando sempre nas coisas que são de cima onde Cristo está assentado a destra da majestade;
  2. A mordomia dos olhos – sempre enxergando como Cristo enxergava quando em seu ministério terreno atuava;
  3. A Mordomia da audição – sempre procurando ouvir a voz de Deus e o clamor dos necessitados;
  4. A mordomia do coração – sempre guardando nosso sentimento das coisas vãs que podem comprometer a nosso comunhão com o criador;
  5. A mordomia das mãos – sempre procurando produzir o melhor para o reino de Deus utilizando assim nossos dons e talentos para edificar a nós mesmos aqueles que conosco cercam a mesa de Cristo;
  6. A mordomia dos pés – sempre andando em unidade para que assim as boas novas do evangelho de Cristo possam ser expandidas de maneira que possa brotar, crescer, frutificar e avançar;
  7. A mordomia do corpo como um todo – esta resume toda unidade dos cristãos como sendo uma única pessoa trabalhando com só sentimento administrando como mordomos fieis os negócios referentes a obra do Senhor Jesus Cristo.

Para refletir: “Não podemos desassociar fraternidade cristã de mordomia cristã, este desligamento faz com que cada cristão individualmente perca o verdadeiro foco da pratica como mordomo do reino” (Eneias S. Ribeiro).

Bibliografia
– O guia dos curiosos – Marcelo Duarte
– Dicionário Vine – W.E, Vine
– O Mais completo guia do judaísmo – Rabino Benjamin Blech

Leia também:
– Lição 1 – O que é a Mordomia Cristã
– Saiba mais sobre o autor: Enéias S. Ribeiro
DEIXE UM COMENTÁRIO_____________________________
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui