A Mordomia da Alma e do Espírito
A ideia de uma tricotomia teve inicio no próprio Deus (Foto: Reprodução)

Subsidio da Lição 3: “O que precisamos saber sobre a mordomia da alma e do espírito”.

A Mordomia da Alma e do Espírito. Na lição anterior apreciamos o fator corpo conjugado com sua tríplice mordomia: “cabeça, tronco e membros” (como parte material).

Vimos os cuidados a serem tomados para não destruirmos o templo do Espírito Santo. Nesta lição, trataremos sobre os elementos que dão sentido e atividade ao corpo material aliados aos cinco sentidos.

A ideia de uma tricotomia teve inicio no próprio Deus (c.f. Gn 2.7)

O texto explica que o homem não é apenas de um ser físico ou uma mera matéria oca. Este recebeu do criador dois elementos que o torna capaz de se comunicar, tanto com o que é espírito, como também com o que é material.

Não podemos alimentar a ideia de uma dicotomia que defende que o homem é composto apenas por corpo e alma. Este conceito entra em contradição com o que Paulo diz sobre a doutrina tricotômica. Ou seja, o tricotomismo bíblico refuta estas heresias antibíblicas.

Por outro lado, quando explicamos de forma cautelosa esta questão de tricotomia, a expressão pode sim ser aceita como positiva. Isto acontece porque a alma e o espírito se resumem em um único elemento, ou seja, o espírito e a alma representam os dois lados de natureza espiritual. Portanto, os dois existem. Neste caso dizer separadamente que há apenas dois elementos existentes (corpo e alma), aí é cometer uma gravíssima exegese (inserir no texto o que não deveria está lá).

Deus fez o homem com capacidade de se relacionar com ele e com os outros homens

Por meio da alma o homem se relaciona com o próximo no universo material; e por meio do espírito, o tal se relaciona com o Criador no universo espiritual.

Quando lemos 1 Ts 5.23 e Hb 4.12, o texto dá a entender que o homem foi criado de dentro para fora, e não de fora para dentro. E isso acaba sendo um fato pelo fato, de o homem ter sido iniciado por um ser espiritual (primeiro temos o Espírito incriado que é Deus, e depois o ser criado que é o homem).

Como podemos manter a mordomia da alma e do espírito

O Dr. Guy P. Duffield diz o seguinte: “No estado de alma o homem olha para a terra (relacionamento com os homens), mas no estado de espírito ele olha para o céu (relacionamento com Deus)”.

Isso explica que não é possível manter a mordomia do espírito e da alma com cereais e água; isso só pode ser feito por meio de alimentos espirituais. Quais seria estes alimentos?

Abaixo deixo uma lista de 25 itens que podem direcionar a uma verdadeira pratica da mordomia da alma e do espírito. Nada melhor do que a Bíblia para nos orientar nesta maratona.

A própria Bíblia lista personagens que foram bons mordomos de suas vidas espirituais, seguindo estas doses bíblicas.

A seguir temos o que considero uma extensa receita bíblica para os que desejam conservar irrepreensível a mordomia da sua alma e do seu espírito diante de Deus.

  1. Guardando o coração – Pv 4.23;
  2. Guardando a palavra no coração – Sl 119.11;
  3. Andando na luz – 1 Jo 1.7;
  4. Confessando os nossos pecados – 1 Jo 1.9;
  5. Orando em todo o tempo – 1 Ts 5.17;
  6. Examinando tudo e retendo o bem – 1 Ts 5.21;
  7. Não nos embriagando com o vinho que trás contendas – Ef 5.18;
  8. Enchendo-nos do Espírito – Ef 5.18;
  9. Se revestindo da armadura de Deus seguida de todas as suas peças – Ef 6.10 -17;
  10. Cuidando da doutrina – 1 Tm 4.16;
  11. Sendo bons ouvintes e praticantes das Escrituras – Ap 1.3; Rm 10.17;
  12. Examinando as Escrituras – Jo 5.39;
  13. Não andando no conselho dos ímpios – Sl 1.1;
  14. Não se detendo no caminho dos pecadores – Sl 1.1;
  15. Não nos assentando na roda dos escarnecedores – Sl 1.1;
  16. Devotando todo o nosso corpo a Deus sem reservas – Sl 103.1;
  17. Ouvindo e temendo a Deus em todo o tempo – Hc 3.1;
  18. Aceitando a vontade de Deus sem questionar suas estranhas ações – Mt 6.10;
  19. Na nos envergonhando do evangelho de poder – Rm 1.16;
  20. Mantendo um amor não fingido – Rm 12.9;
  21. Sendo bons comunicadores com os santos – Rm 12.13;
  22. Não alimentando a ideia maligna de pagar o mal com o mal – Rm 12.17;
  23. Não enraizar em nosso coração o espírito vingativo – Rm 12.19;
  24. Andando sempre em espírito para não nos darmos ao luxo de cumprir os desejos da carne;
  25. Não absorvendo outros evangelhos que não seja o de Cristo – Gl 1.8.

Para refletir:
“Só seremos bons mordomos de nossa alma e espírito se de fato estivermos dispostos a andarmos em espírito; isto porque os que andam na carne sempre estarão desligados das coisas de cima onde está Cristo assentado a destra da majestade”.

Bibliografia
– Dicionário Teológico – Claudionor Correa de Andrade
– Conhecendo as doutrinas da Bíblia – Myer Pearlman

Leia também:
– Lição 2 – A Mordomia do Corpo
– Saiba mais sobre o autor: Enéias S. Ribeiro
DEIXE UM COMENTÁRIO_____________________________
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

1 COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui