A Escola Bíblica Dominical como Ferramenta para uma Igreja Dinâmica e Poderosa
Bíblia – Igreja | Foto: Pixabay

A partir da Escola Bíblica Dominical podemos mensurar se nossas Igrejas gozam de saúde espiritual, se cumprem seu papel diante da sociedade.

Carlos Alberto Menezes Costa

Observamos que a frequência na Escola Bíblica Dominical, tem se tonado menor a cada ano que passa, um fenômeno que se repete em vários lugares do país. Aparentemente há um descaso com a instrução bíblica e com o ensino da Palavra de Deus, por parte de grande parte dos membros das Igrejas. O pior é que em algumas igrejas a EBD foi suprimida, e já não existe.

Esse fenômeno aponta para um esfriamento espiritual, aponta para um distanciamento da verdade, aponta para uma geração fraca e sem motivação para adorar, uma geração que não conhece o Deus que serve e adora, uma geração enferma e sem identidade.

Não só na Escola Bíblica Dominical, mas nos cultos de ensino esse movimento é visto com preocupação. Nesses tempos difíceis dos quais Paulo nos falara a anos atrás (2 Timóteo 4.3), em que os homens iriam eleger seus próprios mestres com exegeses não adequadas e vícios de interpretação, que distanciam o fiel da proposta original da Palavra de Deus, devemos estar alertas, vigilantes, pois uma Igreja poderosa e dinâmica é formada através do conhecimento e prática da Palavra de Deus.

Quando o próprio povo de Deus, não valoriza a ferramenta poderosa que é a Escola Bíblica Dominical, quando o próprio povo de Deus mostra desinteresse pelas verdades eternas. Devemos ficar atentos e alarmados, pois que esperar daqueles que simplesmente não conhecem o real valor das Sagradas Escrituras?

A história bíblica nos mostra que quando o homem se distancia da Palavra de Deus, há prejuízos para a nação e para o indivíduo. O profeta Oseias levanta a sua voz e afirma: “O meu povo foi destruído por que lhe faltou conhecimento” (Oséias 4.6a), e arremata dizendo: “conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor” (Oséias 6.3a).

A sociedade encontra-se enferma por conta desse distanciamento dos ditames bíblicos, estamos vivendo os tempos nebulosos do livro de Juízes, que afirma em seu último versículo: “Naqueles dias, não havia rei em Israel, porém cada um fazia o que parecia reto aos seus olhos” (Juízes 21.25).

A Escola Bíblica Dominical em meio a esse cenário se apresenta como ferramenta para o crescimento saudável da Igreja, bem como para a promoção do almejado avivamento espiritual, tão necessário em nossos dias. Nesse diapasão, o verdadeiro avivamento sempre partiu da atitude de retorno à Palavra de Deus, conferindo a ela a sua devida relevância e adequando a conduta humana de acordo com as orientações registradas na Bíblia Sagrada.

Foi assim no tempo de Josias (2 Crônicas caps. 34 e 35), foi assim no avivamento nos tempos de Neemias (Neemias caps. 1 a 13), foi assim no período de Asa (2 Crônicas caps. 14 a 16); Josafá (2 Crônicas caps. 17 a 20); Ezequias (2 Crônicas caps. 29 a 32). Sendo que o maior avivamento já registrado na Bíblia foi durante o ministério terreno do Senhor Jesus, pois o Verbo vivo esteve entre nós.

Portanto a partir da Escola Bíblica Dominical, podemos mensurar se a Igreja e o povo de Deus por consequência, estão vivendo ou não o verdadeiro avivamento pentecostal bíblico, podemos mensurar se nossas Igrejas gozam de saúde espiritual, se cumprem seu papel diante da sociedade, e se desfrutam da dinâmica própria daqueles que são cheios do Espírito Santo.

A Igreja apenas consegue cumprir sua missão se estiver enquadrada e vivendo os valores da Palavra de Deus, somente dessa forma pode impactar positivamente a sociedade transformando-a de forma silenciosa, mas de modo inexorável e irreversível.

Devemos colocar em pauta novamente a importância de nos debruçarmos sobre a Lei de Deus, sobre seu evangelho, e estudarmos sistematicamente a sua Palavra, apontando para a Escola Bíblica Dominical como suporte de valorização dos ensinos bíblicos, e como referencial de formação eclesiástica.

Aliás a Escola Bíblica Dominical se constitui sem sombra de dúvidas, na melhor escola teológica de todos os tempos, formando milhares de servos de Deus em agentes de promoção do Evangelho genuíno. Tais quais os crentes de Bereia, que recebendo o ensino da Palavra Eterna, conferiam se o ensino estava conforme as Santas Escrituras.

Jesus nos alertou dizendo: “errais por não conheceres o Evangelho e o poder de Deus” (Mateus 22.29), em tempos de tantas filosofias e ideologias, a Palavra de Deus desponta como um porto seguro a nos conduzir para uma trajetória de vitória e bem-aventuranças, e a Escola Bíblica Dominical é ferramenta poderosa para a consecução de uma geração forte, firmada nos alicerces sólidos da Palavra de Deus e voltada para uma vida santa, justa e piedosa.

Professores, alunos, pastores, superintendentes da Escola Bíblica Dominical, o esforço e a diligencia devem alicerçar nossas ações na missão de ensinar a Palavra de Deus, prestando todo o apoio necessário à EBD, para que esta seja o suporte e a alavanca para o tão almejado avivamento, e despertamento espiritual.


DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

5 COMENTÁRIOS

  1. Seu artigo é muito válido e concordo plenamente. Aqui na igreja onde congrego eles acabaram com as classes e fizeram classe única o que desmotivou muitos dos irmãos a abandonarem a EBD. Eu era professora e hoje estou parada.

  2. Gostei do artigo. Estamos vivenciando essa realidade em nossas EBD. O motivo pelo qual está acontecendo esse esfriamento espiritual em algumas pessoas deve ser um sinal dos últimos tempos. O artigo é ótimo, porém, aqueles que ja estão fraquejando, ao lêem esse texto acham que eles também devem se afastar. Pelo menos foi o que eu entendi quando li outro comentário.

  3. Nobre irmão Francisco, na verdade o artigo se presta a nos alertar sobre esse movimento de evasão da EBD, e vigiarmos para não entramos pelo mesmo caminho.

  4. Artigo bastante atual e necessário para este tempo que vivemos. Deus abençoe sua vida Pr. Carlos Alberto, vivemos um tempo cauteloso, cheio de ciladas malignas que vem tentando confundir a mente dos líderes eclesiásticos com relação aos rumos a serem tomados neste tempo de pandemia. Nunca foi tão urgente a exposição sistematizada das Sagradas Escrituras. Urge nós, obreiros do Santo Ministério do Senhor Jesus tornar evidente em nossas congregações esta necessidade.
    Presbítero Agenor Alves, AD-Pancas – ES.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui