A criminalização da homofobia é uma excrescência

2
16

mordaca-gay

Os princípios morais brasileiros devem falar mais alto diante da imposição de grupos minoritários arrogantes. Não somos moralistas hipócritas. Defendemos, sim, os verdadeiros valores morais, que sempre nortearam a boa conduta dos indivíduos em nossa sociedade.

Por Josué Almeida

O projeto que criminaliza a homofobia é uma excrescência, pois os direitos e deveres dos cidadãos já estão previstos no Art.5º da Constituição Federal. Tudo é uma questão de fazer valer o disposto constitucional. Agora, não se pode pretender instituir no Brasil a ditadura da imposição, criando-se lei específica para contemplar situação de grupos minoritários de exceções, os quais, embora se respeite, não podem ditar regras que interfiram na liberdade de pensamento e de expressão de qualquer cidadão. Ninguém pode ser obrigado a concordar com atipicidades de fatos e nem tachado de preconceituoso por não se alinhar com as ideias homossexuais. Daqui a pouco vão querer exigir a fixação de cotas homossexuais em todos os segmentos públicos e privados.

Corre-se o risco doravante, com a aprovação do polêmico projeto, de os cidadãos serem processados todas as vezes que se manifestarem, de alguma forma, contrários à relação homoafetiva. Isso é inaceitável no Estado Democrático de Direito. As entidades gays não podem interferir no direito constitucional de ninguém, para fazer valer os seus posicionamentos. Ademais, ninguém pode ser tolhido de defender os seus princípios morais, bem como compelido a aceitar procedimentos considerados antinaturais.

Os princípios morais brasileiros devem falar mais alto diante da imposição de grupos minoritários arrogantes. Não somos moralistas hipócritas. Defendemos, sim, os verdadeiros valores morais, que sempre nortearam a boa conduta dos indivíduos em nossa sociedade.

Não se educa uma sociedade por medidas impositivas, que venham interferir na livre manifestação do pensamento. Isso é regra constitucional. O conjunto dos traços psicológicos, o modo de ser, de sentir e de agir de um indivíduo, ou de um grupo, forma o seu caráter, o qual que não pode ser alterado simplesmente por imposição de norma jurídica. Preconceitos sempre existiram e continuarão a existir em todas as partes do mundo. Agora, ser obrigado a aceitar padrão comportamental de grupos gays, em desacordo com os princípios educacionais, religiosos e morais de outrem, é inaceitável.

Em vez da péssima pedagogia legal para obrigar o cidadão a respeitar os comportamentos sociais atípicos, o razoável seria sugerir que as escolas brasileiras, sem ideologias políticas, passassem a se preocupar mais com a relação dos indivíduos entre si, para que fatos supervenientes comportamentais fossem mais bem absorvidos pela sociedade.

 

Josue_AlmeidaJosué Almeida
Cristão evangélico, professor da EBD,
bacharel em teologia,
licenciado em Letras pela Universidade de Santo Amaro, SP.

2 COMENTÁRIOS

  1. A única coisa que eu acho engraçado nisso tudo, é que todos esquecem o princípio básico da Bíblia, amar ao próximo como a si mesmo, é triste ver você, uma pessoa que se diz conhecedora da palavra de Deus, julgar tanto o que é certo ou errado, o que são princípios morais, o que é ou não direito de um cidadão, quando Deus é igual para todos. Imagina se Jesus seguisse seu exemplo, quem seria hoje Maria Madelena, ou melhor, quem seria hoje você, uma pessoa que veio ao mundo como todas as outras, o que seria se Deus te julgasse como jugas aos outros?

  2. Olá, Andressa. Primeiramente queria te dizer que Jesus ja se posicionou acerca desse tipo de comportamento, assim como os demais comportamentos surgido com a entrada do pecado no mundo. A Biblbia é bem enfatica em dizer “Não vos enganeis: nem impuros, nem adulteros,(…),nem sodomitas,(…), herdarão o Reino de Deus (1Co 6.9). Observe que o termo “sodomia” é o equivalente a homosexualismo, este termo refere-se à pratica pecaminosa dos moradores de Sodoma e Gomorra que foi destruida por causa do seu pecado (Genesis 19.23). E quanto ao AMOR de Deus para conosco ele se manifesta na sua palavra nos ensinando como devemos ser, ou seja, seu AMOR consiste em nos mostrar atraves da sua palavra como Ele quer nós andemos. Conjecturando, qual a mãe que não ama o filho? É aquela que o corrige o filho de seu erro ou a que o deixa permanecer no erro? É evidente que é a que corrige. Assim tambem é Jessus e nós quando nos posicionamos contra o comportamento homossexual.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome