A Atualidade dos Dons Espirituais
Capa da Lição 4 da EBD do 1º Trim de 2021/CPAD

Escola Dominical – Comentário de apoio da Lição 4, do 1º trimestre de 2021 – A Atualidade dos Dons Espirituais – O Verdadeiro Pentecostalismo.

Aniel Ventura

A Atualidade dos Dons Espirituais – Na Declaração de Fé das Assembleias de Deus no Brasil, encontra-se de forma explícita a crença nos dons do Espírito Santo: “Cremos na atualidade do batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais”. De acordo com esta verdade, que ressurgiu na Rua Azusa em Los Angeles, no início do século passado, os pentecostais anunciam o evangelho completo de Jesus Cristo em todo o mundo: Jesus salva, cura, batiza com o Espírito Santo, concede dons, e virá segunda vez.

I – A NECESSIDADE DOS DONS ESPIRITUAIS HOJE

Muitos não creem na atualidade e na realidade do batismo com o Espírito Santo e dos dons espirituais. Porém a Bíblia, nossa suprema autoridade, além de ser clara sobre esse assunto, é confirmada por incontáveis testemunhos, que ratificam a validade desta promessa pentecostal.

1) Pneumatika (gr. πνευματικα) (1 Co 12.1). Os críticos e opositores dos dons alegam que, no original, não consta a palavra “dom”. Não consta neste versículo, mas consta a seguir, em (1 Coríntios 12) e nos capítulos seguintes. Este termo refere-se às manifestações sobrenaturais da parte do Espírito Santo através dos dons (1 Co 12.7;14.1).

- Publicidade -

1 Corinthians 12:1: περι δε των πνευματικων αδελφοι ου θελω υμας αγνοειν – Bíblia

2) Charismata (gr. χαρισματα) (1 Co 12.4; Rm 12.6). Falam da graça subseqüente de Deus em todos os tempos e aspectos da salvação.

3) Diakonai (gr. διακοναι) (1 Co 12.5). Isso fala de serviço, trabalho e ministério prático. São ministrações sobrenaturais do Espírito através dos membros da igreja como um corpo (1 Co 12.12-27).

4) Energemata (gr. ενεργηματα) (1 Co 12.6). Isto é, os dons são operações diretas do poder de Deus para a realização de seus propósitos e para abençoar o povo (1 Co 12.9,10).

5) Phanerosis (gr. φανερωσις) (1 Co 12.7). Os dons são sobrenaturais da parte de Deus; mas, conforme o sentido do termo original, eles operam na esfera do natural, do tangível, do sensível, do visível.

Os dons espirituais são capacitações e dotações sobrenaturais que Cristo, através do Espírito Santo, concede à sua Igreja, objetivando a expansão da sua obra e a edificação dos santos. Por intermédio deles, segundo o Espírito, o crente fala, conhece e age de forma sobrenatural.

II – A FUNÇÃO DOS DONS ESPIRITUAIS

A Declaração de Fé das Assembleias de Deus diz, que os dons espirituais são vários, e nenhuma lista deles no Novo Testamento pretende ser exaustiva; estas listas não dizem, “estes são os dons espirituais”. Em Romanos, aparece uma lista deles, mas não são os mesmos da lista dos nove dons, exceto o dom de profecia, que aparece em ambas as listas. Há outra lista que repete os dons de variedade de línguas e os dons de curar (Rm 12.6- 8; 1 Co 12.8-10; 1 Co 12.28; 1 Co 12.29, 30; Ef 4.11).

Estudiosos Pentecostais, classificam os dons Espirituais assim:

a) Dons de Revelação:

  • Palavra do conhecimento
  • Palavra da sabedoria
  • Discernimento de espíritos

b) Dons de Inspiração:

  • Variedade de línguas
  • Interpretação das línguas
  • Profecia

c) Dons de Poder:

  • Dons de curar
  • Operação de milagres

Os dons dados por Deus estão classificados em três grupos:

1) Dons naturais:

São vindos de Deus na criação, na natureza: a água, a luz, o ar, o fogo, a vida, a saúde, a flora, a fauna, os alimentos, etc. Há também os dons concedidos por Deus na esfera humana os quais são dados indistintamente: os talentos, os dotes, as aptidões, as prendas, as virtudes, as qualidades, as vocações inatas, etc.

2) Dons espirituais:

São uma dotação de forma especial e sobrenatural pelo Espírito Santo, de capacidade divina sobre o crente, para o serviço especial na execução dos propósitos divinos através da Igreja.

3) Dons Ministeriais:

De acordo com o grego, todas as pessoas listadas de forma seleta em (Ef 4.11) são objetos diretos da expressão (gr. αυτος εδωκεν) “ele mesmo deu”, indicando que Jesus deu essas pessoas à igreja como dons. A lista aqui, concentra-se principalmente naquelas pessoas que proclamavam o Evangelho e ensinavam a verdade.

Os apóstolos, são o alicerce do templo de Cristo (Ef 2.20 e 3.6).

Os profetas, trabalhavam nas “fundações” da igreja (Ef 2.20), tinham habilidades especiais no ministério das mensagens de Deus para o seu povo. Às vezes, anteviam o futuro (At 11.28; 21.9,11), mas, exortavam, encorajavam, e fortaleciam o povo de Deus (At 15.32; 1 Co 14.29).

Os evangelistas eram ministros viajantes, semelhantes aos missionários de hoje. Em muitas vezes, eram os primeiros a começar uma igreja em um lugar onde não havia cristãos (At 21.8; 2 Tm 4.5).

Os pastores e doutores, eram dois dons bastante parecidos. Enquanto os demais tinham uma função de caráter universal, os pastores e doutores provavelmente serviam nas igrejas locais no conhecimento, ensino e aprofundamento da palavra de Deus. Paulo ensinou sobre a manifestação do Espírito, a variedade e diversidade dos dons espirituais (ao que for útil) e a importância destes em edificar a igreja (1 Co 12.4-6).

III – OS DONS REVELAM A UNIDADE NA DIVERSIDADE

Os dons espirituais e o fruto do Espírito, precisam andar juntos, Paulo escreveu aos Coríntios, observando que a irre­gularidade no uso dos dons era a falta do fruto do Espírito entre os crentes. Por isso, intercalou entre os capítulos 12 e 14, a respeito do uso correto dos dons. O capítulo 13, contém ensino substancial sobre a evidência maior do fruto do Espírito, “o amor” (Gl 5.22). Primeiro enfatizou que o uso de qualquer dom é inútil se não houver amor (1 Co 13.1-3). Depois descreveu as qualidades da caridade (1 Co 13.4-8). Por fim, evidenciou que foi exatamente a falta da manifestação do fruto do Espírito, isto é, da caridade, o que trouxe problemas para a igreja dos Coríntios.

Três dons manifestam o poder de Deus por meio de ações sobrenaturais. O dom da fé, os dons de curar e o dom de operação de maravilhas (1 Co 12.9,10).

Três dons revelam a sabedoria de Deus, proporcionando um saber sobrenatural. O dom da palavra de sabedoria, o dom da palavra de ciência e o dom de discernir os espíritos (1 Co 12.8,10).

Três dons transmitem a mensagem de Deus, concedendo poder para um falar sobrenatural. O dom de profecia, o dom de variedade de línguas e o dom de interpretação das línguas.

CONCLUSÃO

Paulo escrevendo a Timóteo, disse que “a igreja é a coluna e firmeza da verdade” (1 Tm 3.15). Esse é o grande desafio da Igreja em todos os tempos, porém, isso deve cumprir para que “ago­ra, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos prin­cipados e potestades” (Ef 3.10). Para isso, a Igreja precisa da infraestrutura que é a manifestação dos dons espirituais, os quais fazem par­te do modelo que devemos reter até que Ele venha (2 Tm 1.13; Ap 2.25; 3.11).

Bibliografia
– Comentário do Novo Testamento Aplicação pessoal Vol 2 – CPAD

– Declaração de fé das Assembleias de Deus – CPAD
– Teologia Sistemática – Eurico Bergsten – CPAD
– Comentário E.B.D – Elienai Cabral – CPAD
– Teologia Sistemática Pentecostal – CPAD
– Bíblia de Estudo Pentecostal – CPAD

DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui