PT quer punição rigorosa a pastores que pedem voto para Bolsonaro

7
3041
Pastores de diversas denominações evangélicas foram se posicionando aberta e voluntariamente em favor de Bolsonaro
Jair Bolsonaro (PSL), Sóstenes Cavalcante (DEM) e Pastor Marco Feliciano (PODEMOS) Foto: Agência Brasil

Pastores de diversas denominações evangélicas foram se posicionando aberta e voluntariamente em favor de Bolsonaro

A cúpula do Partido dos Trabalhadores – PT quer pedir ao Tribunal Superior Eleitoral – TSE “maior rigor” na punição de pastores que estariam “usando as igrejas” que lideram para pedir votos para o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A informação foi publicada na manhã desta terça-feira (9), pelo jornal O Estado de São Paulo, mas, segundo o ex-ministro do TSE Marcelo Ribeiro, trata-se de um tema ainda novo no direito eleitoral, e ainda não há consenso se a via jurídica é a mais adequada.

O TSE, porém, começa a punir o que considera “abuso de poder religioso”, que se configura pelo uso da estrutura da religião para pedir voto.

A questão é por causa de uma matéria publicada no mais importante e antigo periódico da Assembleia de Deus – o jornal Mensageiro da Paz, edição de setembro/2018, onde uma tabela compara o pensamento de cada candidato à presidência sobre temas comportamentais de interesse do segmento cristão.

No quadro, Jair Bolsonaro (PSL) é o único que aparece contra o aborto, o “casamento gay”, a liberação das drogas e a ideologia de gênero. Haddad (PT) não aparece, porque, na época, ainda não tinha sido oficializado como candidato.

Periódico da Assembleia de Deus – o jornal Mensageiro da Paz, edição de setembro/2018
Tabela publicada no jornal Mensageiro da Paz, edição de setembro/2018.

Os pastores e os líderes das diversas denominações evangélicas foram se posicionando aberta e voluntariamente em favor de Bolsonaro, contrário às propostas do PT, entendendo que devem orientar os fiéis para o exercício da cidadania conforme os valores, fundamentados na Bíblia, que norteiam a conduta humana.

7 COMENTÁRIOS

  1. Bateu o desespero na extrema esquerda. Nós, os líderes, não podemos ser omissos. Devemos não somente nos manifestar, bem como orientar os fiéis. Chega de ficarmos só observando estes lobos enganando os crentes incautos que ficam a mercê de uma mídia vendida ao sistema corrompido instalado no nosso querido Brasil.

  2. Sou evangélica desde que nasci e concordo com eles deve haver punição sim, pois, na igreja deve ser pregada a palavra de Deus e nada sobre politica, santificando tal candidato e demonizado o outro biblicamente tá errado!

  3. A omissão dos cristãos fez com que o Evangelho fosse proibido em muitos países. NÃO PODEMOS DEIXAR O MAL DOMINAR NOSSO PAÍS. Lá em casa tem autoridade, tem ordem e não aceito que outros cheguem e mudem as regras enquanto, nós ficamos só orando e lendo a Bíblia. EXISTE TEMPO DE ORAR E TEMPO DE PEGAR A ESPADA. Leiam a Bíblia e vejam diversos exemplos de Homens de Deus que COLOCARAM ORDEM NA CASA!! Depois do arrebatamento, eles podem mandar, mas enquanto estamos aqui, temos que exigir a ordem. NOSSO DEUS É CHAMADO GENERAL DE GUERRA, SOMOS CHAMADOS DE SOLDADOS!!!!!!

  4. Pessoal, o Evangelho está sendo ameaçado, enquanto isso, vamos ficar de braços abertos só olhando?????? Por favor!!! Estamos defendendo nossas garantias constitucionais: LIBERDADE RELIGIOSA E DE EXPRESSÃO, conquistadas por AÇÃO de vários grupos unidos. NÃO PODEMOS FICAR OMISSOS NÃO!!!!

  5. Errado Karyn é aceitar e concordar com tudo o que é contrário aos princípios cristãos… e na Bíblia tem exemplos claros de homens e mulheres de Deus que através da política livraram o povo de Deus de terríveis inimigos. Lembra de José do Egito? José de Arimateia ou a Rainha Ester? Eles acham errado a religião se envolver na política, mas na real não é a política que vive se metendo em religião?

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome