Não desista de si mesmo, você tem valor!

0
68

Não desista de si mesmo, você tem valor!

Por Paulo Pontes

Desistir é não prosseguir, abandonar, parar, abdicar, entregar-se, render-se…

Penso que aqueles que desistem, fazem por desconhecimento de pelo menos duas coisas que pontuo aqui: “a razão da sua existência” e “o valor que tem”.

Nenhum conhecimento é tão importante do que o conhecimento de si próprio. Não há nas escolas, nem nas faculdades ou universidades um curso específico que dê formação nessa área. Mas toda pessoa passa pela transformação de caráter nas experiências da vida intima – as experiências da “escola da vida”.

Nessa escola, as atividades envolvem completamente o “aluno”, que no final recebe a formação de si mesmo, sem a qual ninguém se torna apto para viver de modo eficaz.

Os diplomas são necessários e cada um tem a sua importância, mas nada, absolutamente, substitui a experiência pessoal. Na verdade, o que qualifica o ser humano não são os diplomas, mas as experiências!

É uma questão deontológica, onde o conhecimento de si mesmo conduz a pessoa a refletir sobre a razão da sua existência, por meio de um autoexame, perguntando-se:

– O que sou?
– Quem sou?
– Como estou?
– Onde estou?
– Qual o meu ponto de partida?
– Onde quero ou preciso chegar?

Este autoexame é olhar para si mesmo, vendo-se num espelho, verificando a própria vida em todas as áreas, aspectos e ângulos. Não se trata de um “tribunal pessoal”, porque quando julgamos a nós mesmos, de fato, não somos julgados, como ensina o apóstolo Paulo em 1 Co 11.31, e sua importância e necessidade vê-se no fato que o mundo é bem diferente fora das portas de nossas casas, onde temos que conviver em meio aos preconceitos, à violência, e à corrupção, onde a ciência do dever e da obrigação tem sido largamente ignorada, para que certos grupos da sociedade possam arrancar nossos sorrisos, destruir nossos sonhos e nos usar indistintamente. Sem respeitar os limites das nossas portas, querem nos forçar a ser como são, deixando de lado o conjunto de princípios e regras de conduta ou deveres. Mas, não nascemos para viver assim, e não é para isso que devemos viver.

Na escola da vida, a nossa prova é escrever a própria história, cuja deontologia ficará como um legado à posteridade, e o tema principal é “a razão da nossa existência”.

Se a tarefa nos parece difícil, a melhor opção é pedir ajuda ao Mestre: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno” (Salmos 139:23,24).

Não desista de si mesmo. Não desista do propósito de Deus. Conheça-te a ti mesmo e perceba o valor que você tem. Desistir não é a melhor opção, mas o caminho mais curto para a derrota. Mesmo que esteja em último lugar, você ainda pode vencer, o circuito de provas ainda não acabou! Por isso, não abandone a corrida, prossiga; não desista dos teus sonhos, lute; não questione a própria existência, continue vivendo. Você tem Valor!

Esta é minha contribuição para a sua formação pessoal e espiritual, de modo você alcance o conhecimento do verdadeiro valor tem e o que Deus espera de cada um de nós.

Este artigo faz parte do conteúdo, extraído do meu livro “Você tem Valor”, lançado em 2009.

Quem, em sua trajetória de vida já não sentiu uma profunda tristeza por um projeto que falhou? Um sonho que não se realizou? Um plano que não deu certo? Essa tristeza produz a sensação de incapacidade, de fraqueza e incompetência. Muitos, em situação assim, se enclausuram, às vezes entram em depressão e até chegam ao extremo de tirar suas próprias vidas.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome

13 − onze =