Cristãos são presos durante culto na China

0
26

Cristãos são presos durante culto na China
Um membro da Zhongfu Wanmin Church conseguiu capturar esta

foto dos oficiais que conduziram o ataque em 3 de maio. (Foto:

ChinaAid)

Mais de 30 cristãos, incluindo família americana com crianças, detidos durante culto em Guangdong

Policiais invadiram uma reunião da igreja no sul da província de Guangdong, na China, nesta última quarta-feira (3) à noite, detendo 30 dos membros presentes, incluindo o pastor e um casal americano com dois filhos.

Mais de 20 policiais invadiram a Zhongfu Wanmin Church aproximadamente meia hora após o começo do culto. Os membros da igreja tentaram tirar fotos do ataque, mas os oficiais confiscaram todos os telefones celulares, cartões de identificação e cartões de banco.

“Como pode a polícia confiscar os cartões bancários?” perguntou um pastor local enquanto contava a ocorrência para um repórter da ChinaAid. “Esta mudança de comportamento dos oficiais é um muito recente”.

Durante o ataque, o pastor, Li Peng, foi espancado por policiais por tentar tirar fotos. Li foi preso com os outros 30 membros da igreja e interrogado durante a noite, mas enquanto a maioria dos detidos foram libertados na manhã seguinte, Li continuava detido.

Huang Xiaorui, a esposa de Li, foi até a delegacia na parte da manhã, mas os oficiais se recusaram a dar-lhe informação ou deixá-la visitar o marido.

“Eles não me deixam ver o meu marido”, disse Huang. “Eu insisti que estava lá para saber qual a acusação e a justificativa da invasão. Eu queria justiça. Esperei na delegacia durante toda a manhã, sem sucesso. Os outros irmãos e irmãs foram liberados em ordens diferentes e cada um deles foram interrogados por um tempo muito longo. Eu mesma foi interrogada por mais de uma hora. O crente mais velho entre detidos é uma avó, mais de 80 anos de idade. Havia também crianças entre os presos”.

Por causa de um casal americano e seus dois filhos presentes na reunião, as autoridades acusaram a igreja de “acomodar estrangeiros” e “refugiar ilegalmente” porque a igreja não era um local de encontro registrado.

De acordo com Huang, a família americana foi detida depois que a polícia a convocou do hotel onde estavam hospedados.

“Nunca acomodamos estrangeiros”, disse Huang. “Vivemos em Tangxia. Um casal em nossa igreja é americano, mas são pessoas registradas como residentes de Hong Kong. Se uniram à Igreja de Tangxia há mais de uma década, e eles simplesmente queriam participar do culto em nossa igreja nesta quarta-feira”.

Zhongfu Wanmin Church, fundada em 2002, tem enfrentado intensa perseguição das autoridades locais por um longo tempo, com um pico de gravidade durante maio e junho de 2016. Nesses dois meses sozinho, os membros da igreja relataram sete ataques das autoridades. Durante um incidente, os oficiais se abriram a caixa de ofertas da igreja e confiscaram 2.888 Yuan (US$ 439).

ChinaAid relata eventos de perseguição, como o ataque contra Zhongfu Wanmin Church, a fim de promover a liberdade religiosa e o Estado de direito para os cristãos perseguidos na China.

Com informações de ChinaAid

DEIXE UM COMENTÁRIO

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Digite seu nome aqui

5 + dez =