Crente, Cristão, Servo, ou Salvo?

0
197

Crente, Cristão, Servo, ou Salvo?

Crente, Cristão, Servo, ou Salvo? 
[ Pr. Paulo Pontes ]

Quando aquele dia chegar, muitas pessoas vão me dizer: “Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres!” Então eu direi claramente a essas pessoas: “Eu nunca conheci vocês! Afastem-se de mim, vocês que só fazem o mal!” (Mateus 7.22,23) (NTLH).

Observando o texto de Mateus 7.22,23, resolvi escrever este texto para um despertar da vida espiritual comparando o que se diz e o que se faz fora e dentro da igreja. E adicionei os escritos de dois colegas de ministério, pastor Ezequiel da Silva, líder da ADCentral em Cachoeiro de Itapemirim-ES, e pastor Geremias Couto do My Hope Project da Associação Evangelística Billy Graham, que abordam o tema que é bem atual, tendo em vista a banalização do termo “crente”.

Fora da IgrejaExistem muitas pessoas falando que não são crentes, e mesmo assim nunca cometeram crimes (como se crente fosse sinônimo de isenção), que não têm vícios, não adulteram, não bebem, não fumam e não mentem. Estas pessoas acreditam que, na eternidade, existe um lugar especial para elas, diferente do lugar para onde irão os que vivem dissolutamente, uma vez não serão julgadas da mesma forma como os grandes e maus pecadores, sendo-lhe reservado um lugar bom para passar a eternidade.

Seria muito fácil se fosse dessa maneira, como também seria desnecessário que o Filho de Deus se entregasse em sacrifício vicário, derramando o seu sangue inocente para remir o homem das penas do inferno, morrendo em seu lugar.

Dentro da IgrejaExistem pessoas vivendo como se já eternamente vivessem, e que jamais terão que prestar contas de seus atos, bem como o que fazem com os dons talentos que não lhe pertencem, pois receberam do Senhor (Mt 25.14-30). Os interesses pessoais, o poder, e a fama gritam mais alto. O serviço cristão parece ter ficado em último lugar na lista de prioridades.

A vida de muitos dentro da Igreja é caracterizada pela falta de compromisso sério com Deus e sua grandiosa obra. Não há mudança de comportamento ou de hábitos, em nada se parecem com uma nova criatura, pois o velho homem continua com toda força e vigor (2 Co 5.17). Santidade e consagração são termos estranhos aos tempos atuais.

Não são todos, porém, muitos vivem buscando a auto-realização nas múltiplas áreas ministeriais da igreja, e se satisfazem usando os talentos, o poder e os dons espirituais para o sucesso. Comemoram suas conquistas, mas se esquecem que a fonte fundamental da alegria é o fato de termos sido redimidos do pecado e os nossos nomes estarem escritos no Céu (Lc 10.20).

Diferença entre crente e cristão
[ Pr. Ezequiel Silva ]

Tenho visto, ultimamente, que uns que fazem diferença entre crente e cristão; outros acham que se tratam de termos iguais. Vejamos, CRENTE é quem crê, que tem fé no Evangelho, na doutrina e na ressurreição de Cristo. CRISTÃO – “seguidores de Cristos” – era um termo, a priore, pejorativo (filhotes de Cristo – cristãozinhos), cujos gregos de Antioquia, cognominava os primeiros crentes. Mais tarde, vinculou o nome aos seguidores de Cristo. O que diz a Bíblia. CRISTÃO: “[…] Em Antioquia foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos (At 11.26); “Então, Agripa se dirigiu a Paulo e disse: Por pouco me persuades a me fazer cristão” (At 26.28); “mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome” (1 Pe 4.6). CRENTE: é mencionado 18 vezes na ARA, 11 vezes na ARC e 15 vezes na ARV. A Bíblia trata o crente/cristão como: irmãos, santos, eleitos,amados,etc. É bom que se diga que o apóstolo Tiago cita os demônios como “crentes” em contexto completamente diferente. Como o espaço não permite falar sobre todos trechos, citarei um que, a meu ver, tem o escopo conceitual da crença (Fé) até a Abraão (“De modo que os que são da fé são abençoados com o CRENTE Abraão” Gálatas 3.9 – grifo nosso). Crente ou Cristão, tanto faz. O que importa é que sejamos fiéis e obedientes adoradores daquele que morreu por nós, e que é para sempre REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES – JESUS CRISTO e aguardemos a fiel promessa do gozo da salvação (1 João 3.2,3).

Não sou mais crente
[ Pr. Geremias do Couto ]

Tenham calma. Não se assustem. Continuo a crer em Cristo e a desfrutar da salvação pela bendita graça que me foi ofertada no Calvário. Não me afastei do caminho. Continuo a trilhá-lo, sustentado pela mão de Deus, até chegar à estação final, onde devo desembarcar. Quero ser contado entre os milhões, que, ao adentrarem os umbrais eternos, têm nos lábios uma doce e graciosa expressão de júbilo por estar para sempre com o seu Senhor.
Mas a expressão “crente” se tornou tão vulgar que já não cabe no meu vocabulário. Ela já não expressa o significado pretendido, visto que, como escreveu Tiago, até o diabo se vale do mesmo vocábulo, que, hoje, equivale a uma marca, sem, no entanto, garantir o conteúdo. Dessa forma, nesse sentido estrito, não sou mais crente.

Não creio nas falácias dos pregadores da prosperidade, que prometem mundos e fundos aos incautos, enquanto eles se enriquecem à custa dos que tentam barganhar com Deus em busca dos bens materiais. Essa fé eu não tenho.

Não creio em promessas de milagres feitas por homens, que não passam de grotescas pirotecnias, com o fito de endeusá-los no panteão dos pequenos deuses, os quais acham que podem mais do que Deus. Essa fé eu não tenho.

Não creio em visões, sonhos e revelações, onde a linguagem predominante envolve chaves, bandeja de prata, documento assinado, carta, viagem, passaporte e coisas do gênero, quando, no meio em que tais coisas acontecem, há pessoas com a vida desregrada, vivendo em pecado, mas o “revelador” não é capaz de chamá-lo ao arrependimento. Essa fé eu não tenho.

Não creio em gritos desesperados, lancinantes, fruto da manipulação humana, como sinal da presença de Deus e da unção na vida do pregador. Se Cristo e o apóstolo Paulo fossem medidos por essa régua, seriam tidos como os pregadores mais gelados de toda a história. Creio que a pregação empolga, mas antes de ser uma gritaria, ela é a exposição clara, precisa e consistente da Palavra de Deus e não um conjunto de chavões e frases de efeito. Essa fé eu não tenho.

Enfim, creio em Cristo, creio na sua morte expiatória, creio na sua ressurreição dentre os mortos, creio na salvação que ele nos proporcionou, creio na contemporaneidade dos dons espirituais, creio na vida cristã vivida na dimensão do Espírito Santo, mas não creio nas papagaiadas vestidas de roupagem cristã, que, infelizmente, ocupam os nossos púlpito. Nesse sentido, deixei de ser crente há muito tempo.

___________________

Paulo Pontes
Pastor evangélico, filiado a CADEESO/CGADB; escritor, pregador e conferencista. Bacharel em teologia (Eftes); doutorado em teologia pastoral (FatefSP); doutorado em teologia catequética (Ictus). Lider da AD-Missão Jesus é a Resposta. Editor de Seara News.

Ezequiel da Silva
Pastor evangélico, educador cristão, palestrante, pregador do Evangelho, ordenado em 1996, pela CADEESO/CGADB. Líder da AD-Central em Cachoeiro de Itapemirim-ES. Bacharel em Direito, pela FDCI. Formado em Teologia Cristã pelo Seminário Teológico Evangélico Batista; Bacharel em Teologia Pastoral pela FATEFI.

Geremias do Couto
Pastor evangélico vinculado ao My Hope Project da Associação Evangelística Billy Graham, filiado a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), é teólogo, conferencista, escritor e jornalista.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome

dois × 1 =